Guto Lacaz fala de inovação e empreendedorismo nas artes plásticas

Artista expôs obras premiadas e inovadoras e falou sobre a persistência para conseguir os resultados esperados

Com as luzes do auditório apagadas, o artista plástico Guto Lacaz iniciou sua apresentação no Seminário e Feira de Inovação falando sobre sua formação e suas influências, desde a infância e adolescência, quando construiu um intercomunicador que precedeu os interfones.

Ainda jovem, gostava de ler a Revista Mecânica Popular, onde olhava a diagramação e como fazer móveis. Publicações sobre os projetos de Santos Dumont também encantaram Guto, como o do avião Demoiselle, que, de acordo com o artista, foi o primeiro software livre e teve mais de 200 réplicas no mundo.

Guto expôs vários de seus trabalhos que foram considerados inovadores, onde utilizou objetos inusitados e mecânicas inesperadas. Um exemplo foi a obra Cadeiras flutuantes, de 1989, que após execução afundaram e causaram constrangimento.

Somente depois de três meses de experimentação no lago do Parque do Ibirapuera até conseguir o efeito desejado. Mais uma vez o tema da persistência para inovar surgiu no evento.

Visite o site do artista: http://www.gutolacaz.com.br/